OPETH de regresso a Portugal em 2021 para celebrar três décadas de carreira. Fãs vão poder escolher o alinhamento

Depois de, no início deste ano, terem andado na estrada do outro lado do Atlântico ainda a promover o mais recente álbum, 'In Cauda Venenum', de 2019, os OPETH acabam de anunciar uma sequência de oito espetáculos exclusivos e muito especiais no Outono de 2021. Com passagem pelo Coliseu dos Recreios, em Lisboa, a 25 de Outubro do próximo ano, a tour denominada 'Opeth by Request Evolution XXX' vai celebrar trinta anos de carreira de uma das bandas mais aplaudidas e influentes dos últimos anos no espectro da música pesada, com os músicos liderados por Mikael Åkerfeldt a darem à sua legião de fãs a oportunidade de escolherem quais os temas que gostariam de ouvir nestes concertos. A votação começou na segunda-feira, 7 de Setembro, em Opeth.com.

«Ora bem, decidimos comemorar um aniversário tardio da banda», explica Mikael Åkerfeldt. «Como vamos celebrar algo do género? Bem, vamos trabalhar. Estamos a planear alguns concertos selecionados ao redor do mundo em 2021, em que, basicamente, vocês vão poder escolher colectivamente as músicas para o alinhamento. Já que comemoramos trinta anos, gostaríamos de tocar uma música de cada um dos álbuns que fizemos. De todos os treze. Se puderem ajudar-nos, escolham uma canção por álbum da lista e nós tocaremos as que tiverem mais votos. Isto já foi feito antes, mas não por nós. Estou relutante e nervoso, mas também animado para ver que temas escolherão. Não posso acreditar que já existimos há trinta anos, mas a verdade é que aqui estamos. Ajudem-nos, por favor. E sejam gentis. O alinhamento final terá treze temas. Um de cada álbum. Vocês escolhem...»

Os OPETH passaram as últimas três décadas a crescer a todos os níveis, transformando-se num dos nomes mais influentes da sua geração e acumulando um corpo de trabalho que revela uma devoção enorme pelo conceito de progressão estética e um fervoroso desejo de busca pela perfeição. Sinónimo de evolução, são já um dos nomes mais consensuais no espectro em que se movem. Do death metal sueco infundido de romantismo dos primeiros discos, à mistura perfeita de agressividade e melodia de 'Still Life' e 'Black Waterpark', passando pela criatividade dos registos mais recentes - o último 'In Cauda Venenum' foi editado em duas versões, uma cantada em inglês e outra cantada em sueco -, ao longo dos últimos trinta anos, o inimitável Åkerfeldt, estratega e principal compositor do grupo, tem mostrado saber exactamente como remodelar o seu veículo artístico sem sacrificar o espírito criativo e aventureiro que o caracteriza desde a formação em 1990.

LIVECOM 

Publicidade