''OÁSIS'' reflete outras formas de ocupação, do teatro à rua - Teatro do Frio 29 Nov

Qual a nossa relação e consequente ocupação dos espaços? O Teatro do Frio (TdFrio) cruzou vontades e inquietações de nove criadores nacionais multidisciplinares que culminam sexta-feira, 29 de novembro às 21h, no Teatro Helena Sá e Costa, na estreia da sua mais recente produção, "Oásis".

O espetáculo germinou na sequência do questionamento da ocupação do espaço, físico e virtual, no momento em que as ruas são ocupadas por manifestações, movimentos extremistas são renovados, a tecnologia massificada por diferentes dispositivos, a informação nivelada e personagens atuais passam rapidamente de heróis a anti-heróis. Poderão os espaços que nos são familiares ser mutáveis, ocupados de uma outra forma? Como nos organizar nessa interação?

São nove os criadores, entre músicos, compositores, intérpretes e artistas visuais que aceitaram sair da sua área de profissionalização e repensar o espaço no mundo contemporâneo. A criação coletiva resulta de um processo de trabalho partilhado no último ano em três residências artísticas. Da Circolando à CulturDança, passando pela espaço Fauna/ Teatro da Didascália, é no Teatro Helena Sá e Costa que "Oásis" agrega o mapa mental destes encontros.

A criação original do TdFrio propõe uma outra ocupação da sala de teatro. Desconstruindo a convenção de palco, a companhia redesenha-o em sete micro-espaços onde público terá de circular, pretendendo-se uma nova vivência, mental e física. Tal como os criadores, o espectador vê-se também fora do seu lugar de conforto: ora ocupa o palco, enquanto os intérpretes habitam a plateia, ora cruza espaços que normalmente lhe são vedados - da boca de cena aos corredores, da zona técnica ao backstage. Tal como no espaço público, a audiência é obrigada a reposicionar-se, adaptando e atualizando o olhar.

"Oásis", através de música ao vivo, projeções vídeo em diferentes dispositivos multimédia, desenhos de luz imersivos e atores que interpelam o público, reflete a nossa relação com a atualidade. Com uma forte componente instalacional, o espectador é também ativador, onde se reclama o despertar de corpo e mente.

No Teatro Helena Sá e Costa no Porto, "Oásis" estreia dia 29 de novembro às 21h e conta com reposições dia 30 de novembro e 1 dezembro, com duas apresentações diárias, às 17h e às 21h.

Publicidade