Conan Osiris actua na China, antes da estreia no Coliseu de Lisboa

Antes da estreia no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, a 12 de Dezembro, num espectáculo especial em formato arena, Conan Osiris viaja hoje para a China, onde actua na quinta-feira, 28 de Novembro, em Zhuhai, na Live House e dois dias depois em Macau, no Navy Yard. Desde que chegou do futuro, há apenas um ano e oito meses, Conan Osiris deu um total de 80 espectáculos, 13 dos quais fora de Portugal, repartidos por 7 países e 3 continentes, em cidades tão distantes e para públicos tão diversos quanto os de São Paulo, Oslo, Telavive ou Barcelona.

Amanhã, quarta-feira, 27 de Novembro, Conan Osiris aterra em Hong Kong, onde chegou a ter um espectáculo agendado mas que, devido à instabilidade que se vive na cidade, foi adiado para outra altura.

Nos últimos dois anos Conan Osiris tornou-se uma figura incontornável da cultura portuguesa. Conhecemo-lo primeiro com o longa-duração "MUSICA, NORMAL", onde nos introduziu ao seu universo. Em "Adoro Bolos", o segundo disco, continuou a marimbar-se para os cânones artísticos mas a participação, primeiro no Festival da Canção e depois na Eurovisão, revelou-o a um público mais vasto, acabando por colocar um país inteiro a dissecar letras, arranjos, guarda-roupa e mise-en-scène. O prémio de Artista Revelação nos Play - Prémios da Música Portuguesa e as duas nomeações para os Globos de Ouro, nas categorias de revelação do ano e melhor intérprete, são um reconhecimento público que nos recorda o facto de Conan Osiris ter aterrado no nosso país há menos de dois anos, quando sentimos que sempre viveu entre nós, sempre foi um dos nossos.

"Telemóveis", "Borrego", "Amália", ou "Adoro Bolos" são alguns dos temas incontornáveis do cancioneiro de Conan Osiris, para ouvir e ver num espectáculo que funde os limites da música e da dança numa performance única.

Conan Osiris é Tiago Miranda, um Lisboeta e músico auto-didacta. Nasceu no mesmo dia que o japonês Hayao Miyazaki e inspira-se na sua série de anime pós-apocalíptica, "Conan - O Rapaz do Futuro". Osíris completa o nome artístico e é uma referência ao deus da mitologia egípcia. Antes de chegar à música estudou arte e design mas a sua nota biográfica diz que estudou sobretudo a vida das pessoas. Apresenta a sua arte numa dualidade, como a própria vida, entre a simplicidade e a complexidade, é o rapaz do futuro que não esquece o passado e faz música "normal", para viver e celebrar.

LIVECOM

Publicidade