Catarina Munhá apresenta Animal de Domesticação

"Animal de Domesticação" é o álbum de estreia de Catarina Munhá, disponível em todas as lojas e plataformas digitais. Este álbum foi feito no rés-do-chão que a artista alugou, vazio, e que decidiu começar a mobilar com canções. Não tinha muitos armários mas os instrumentos espalhados pela casa faziam-lhe companhia.

Começou pela cozinha, enquanto fazia o jantar, a cantarolar uma "Canção-Receita" acompanhada da guitarra. Um pouco de leite derramado fê-la correr para o piano para escrever e compor "Sobre Leite Derramado". À frente do armário, questionava-se sobre "Isto de Ser Mulher". "Águas-Furtadas" é a primeira canção do disco, que anuncia que apesar de viver num rés-do-chão tem sempre a cabeça nas nuvens. Muitas outras canções feitas noutros sítios da casa e sobre outros sítios da cabeça vivem neste novo disco, acompanhadas pelo som tropical do seu ukulele, um violino insólito e ocasionais teclas melancólicas.

"Animal de Domesticação" é sobre o espaço que habita, cá fora e dentro das canções que a acompanham desde criança. Aos 5 anos, pegou num piano e não o largou mais. Seguiram-se o violino, a guitarra, o sintetizador, o ukulele, e nem a pandeireta deixou em paz. Catarina diz não ser um animal de domesticação - não aceita os papéis que lhe dão, se não lhe fizerem sentido. Questiona tudo em formato-canção. Vive em piso térreo mas sempre que pode foge para a selva que é o mundo e tira os pés do chão. Desde que se lembra de ser pessoa que inventa canções mas nunca as tinha tirado da gaveta. Até agora.

Saiu de sua casa e foi para outro lugar-casa, o estúdio HAUS. Lá as canções ganharam vida, com a ajuda de Hélio Morais, António Porém Pires, Makoto Yagyu, Fábio Jevelim e Sérgio Nascimento.

Sony Music | Foto:D.R.

Publicidade