''No tengo nada'' novo single e vídeo de ALEJANDRO SANZ

03-12-2018 01:41

“No tengo nada”, o primeiro single de Alejandro Sanz, antecipa o seu novo álbum, a ser lançado em 2019, oferece um extraordinário exercício de tensão poética na expressiva plenitude da sua carreira. Com uma mensagem profunda, mas ao mesmo tempo com uma profundidade universal, “No tengo nada” aborda essa inatingível obsessão do ser humano em possuir coisas quando, na verdade, não é dono de nada. Porque, honestamente, o que temos na realidade?

No final, estamos muito habituados a viver no passado e no futuro, que são dois tempos verbais que não existem. O passado passou e o futuro ainda está por vir... e não sabemos se ele virá. O presente é a única coisa que temos.

“No tengo nada” conta com a produção de Julio Reyes Copello (com quem já tinha trabalhado no álbum “La música no se toca”, em 2012), Alfonso Pérez (músico que acompanha Alejandro desde 1997) e o próprio Sanz.

Gravado entre os meses de março e outubro de 2018, no Art House Studios e no Mow Studios em Miami, o single inclui um arranjo requintado de cordas escrito por Julio Reyes e Alfonso Pérez e interpretado na canção pela City of Prague Philharmonic Orchestra, hoje a melhor orquestra filarmónica do mundo. Com guitarras acústicas de Alfonso Pérez, piano e teclados de Pérez e Reyes, e Larnell Lewis (Snarky Puppy) na bateria, “No tengo nada” contou ainda com Trevor Muzzy (Lady Gaga, JLo, Jason Derulo) como engenheiro de mistura e masterização de Gene Grimaldi (Oasis Mastering).

O vídeo que acompanha o lançamento do single é o trabalho do realizador Jaume de Laiguana. Na hora de escolher quem seria o responsável pela parte visual de “No tengo nada”, Alejandro Sanztinha a certeza que seria o fotógrafo catalão, designer e realizador. Desde o seu primeiro encontro profissional no álbum “No es lo mismo” (2003), a relação artística entre Sanz e Laiguana resultado em momentos mágicos, dois artistas que se entendem falando a mesma linguagem emocional.

O vídeo de “No tengo nada”, filmado em Miami, tem uma fotografia encantadora, oferece uma estética próxima dos enquadramentos cinematográficos de Hitchcock e, nas suas cores, mostra as influências do realismo urbano americano das suas personagens, que escapam do desvanecimento de forma descontraída como nos quadros de uma pintura de Hopper.

Laiguana retrata uma representação do amor com uma poética poderosa e peculiar, distante do tradicionalismo que comumente se associa o amor ao casal. O vídeo de “No tengo nada” emerge como um tributo à necessidade que as pessoas têm de receber um abraço. Imerso numa uma solidão quotidiana, sempre olhando em frente e não para os lados, todos nós precisamos de algo tão simples e sensível como um carinho.

Vivemos vidas individuais e, na maior parte do tempo, andamos pela vida completamente sozinhos. Muito raramente paramos para pensar que, ao nosso lado, alguém precisa de algo tão básico e universal quanto um carinho verdadeiro. E assim chega “No tengo nada” de Alejandro Sanz. Em essência, não temos nada, mas, muitas vezes sem saber, possuímos as coisas mais importantes.

“No Tengo Nada”, de Alejandro Sanz, já disponível nas plataformas digitais.
Universal Music Portugal

Pub.