MANEL CRUZ e ANGEL OLSEN cantam e encantam no Manta, em Guimarães

26-08-2015 02:00

Nos próximos dias 04 e 05 de setembro, os jardins do Centro Cultural Vila Flor voltam a acolher dois belíssimos concertos. Nesta edição, dois grandes nomes visitam Guimarães para este evento já tão intrínseco à cidade. Na noite de sexta, às 22h30, atua o talentoso Manel Cruz e, na noite seguinte, à mesma hora, Angel Olsen vem de longe para um concerto memorável. O Manta abre a nova temporada e dá início à celebração dos 10 anos de vida do Centro Cultural Vila Flor. Um momento simbólico e importante, que representa a visão de um investimento da cidade, consolidado em património material identitário desse olhar contemporâneo que caracteriza Guimarães no séc. XXI. Ambos os concertos têm entrada livre.

 

Manel Cruz é o primeiro a subir ao palco do Manta, no dia 04 de setembro, sexta-feira, às 22h30. Num momento de intervalo entre projetos, o músico propõe-se a misturar passado, presente e aquele que poderá ser um futuro. Como um álbum de fotografias de estrada que regista momentos/canções numa visão pessoal do que tem sido o seu percurso. Uma viagem por músicas dos vários projetos em que esteve envolvido, à mistura com músicas nunca editadas. Uma paragem para pôr gasolina, enquanto se vê no mapa o caminho que se fez e para onde se quer ir.

 

Este trabalho, intitulado “Estação de Serviço”, surge em jeito de balanço e com prazo de validade que expira em setembro. Com este projeto, Manel Cruz obedece ao desejo de tocar e criar, esse ímpeto que fala sempre mais alto, e assim acontece esta “Estação de Serviço”. Uma pausa na viagem para abastecer e esticar as pernas. Aqui imperou a vontade “de torcer essas músicas, mexer-lhes e brincar com elas”, como o próprio explica. Os jardins do Centro Cultural Vila Flor serão mais uma Estação de Serviço na longa viagem de Manel Cruz.

 

Na noite seguinte, sábado, também às 22h30, a cantora, compositora e guitarrista Angel Olsen visita o Manta e promete um concerto inesquecível. Olsen toca um folk despretensioso, as letras são sinceras e profundas porque cantam as angústias da vida. A voz é a de quem sussurra uma alma dorida onde cabem os desamores e a solidão. As melodias são delicadas, mas impõem um silêncio à audiência que fica siderada quando a ouve.

 

Ao segundo álbum a solo, “Burn Your Fire for No Witness”, Angel Olsen vê a sua carreira descolar em definitivo ao revelar o real talento escondido por detrás de uma timidez solene que, aos poucos, se afirma numa segurança total de quem já faz isto há muito tempo. Este trabalho foi aclamado pela crítica e o público parece rendido ao charme envergonhado que Olsen emana quando sobe ao palco. “Burn Your Fire for No Witness” constou em diversas listas dos melhores álbuns de 2014 e os concertos multiplicam-se. A artista conquista, sem esforço, quem a ouve e quem a vê. Agora, é a vez de conquistar o Manta.

 

O Manta congrega uma série de valores culturais únicos que fazem deste evento urbano um acontecimento distinto e cada vez mais participado. As dimensões naturais e arquitetónicas presentes na configuração do espaço que acolhe os concertos e a sensação de consumo tranquilo das performances artísticas remetem-nos para uma experiência sem vertigem.

 

Seguindo a linha de programação dos últimos anos, as propostas desta edição repartem atenções entre o plano nacional e internacional. O Manta continua a escrever a sua história autêntica e a reunir afetos em torno da cultura e da arte, visões de um mundo que cria valor para a sociedade. A entrada nos concertos é livre.

ANGEL OLSEN