Disco de estreia do duo GATUPRETO na editora TINK! Music

28-04-2015 00:31

 Duo enigmático, de identidade oculta, explorador dos denominadores comuns entre a música de uma África idealizada e as referências do movimento de dança dos 80's e 90's. A arte que o Gatupreto gera é simples e sincera, deve tanto aos clássicos Rave, como à crueza do Hip Hop, tanto ao pôr do Sol de Cabo Verde, como à madrugada de uma Lisboa à beira rio.

As inspirações do duo tocam um conjunto curioso de pontos: a oblíqua melancolia de Mulatu Astatke, o alegre salsifré jazzístico de Fela, o doce mel de Orlando Pantera, Cesária ou Tito Paris, em fusão com as texturas da electrónica clássica, como Art of Noise ou Kraftwerk, KLF ou KRS One, Paperclip People ou Leftfield ou mesmo ... Snap e Doctor Alban!

A sua prestação ao vivo, é frenética e profunda! Um horizonte pleno de ritmos fortes e introspectivos, aperfeiçoados com a utilização pontual de sintetizadores rítmicos e processadores de efeitos que aludem à tradição dub. 

GATUPRETO

O seu EP de estreia "Modo Di Trabadja" (traduzido: "Forma de Trabalhar" ou "Modus Operandi") é um conjunto de três originais e uma remistura do mais ilustre luso-arménio Vahagn.

"Grandi Loba" é uma proposta feroz e elegante, onde um baixo pulsa, húmido, sob a tensão de tarolas afiadas e pratos cristalinos, completo com sugestões melódicas que unem o futurístico ao ancestral, o introspectivo ao sexual... Intocável exemplo de originalidade e classe aplicado à música de dança.

“Sina Di Nos Povo" é o segundo original e é um exemplo de como gerir tensão num tema de pista. A par de uma produção impecável, a faixa vive de arritmias fluidas, de melodias espaciais (vozes sintéticas, cordas misteriosas), ritmos analógicos e elementos samplados, um baixo avassalador e um arranjo de mestre.

Para terminar, a remistura de Vahagn para "Grandi Loba" abre o tema a uma leitura mais épica e assumidamente virada para as maiores e mais elucidadas pistas de dança, recorrendo ao seu arpeggio de assinatura para contrastar melodia ao carácter físico do tema original, com um resultado impressionante.

Quem gosta de trabalho de gente como Mr. Fingers, KLF, Leftfield, Kyle Hall, Cooly G, Carl Craig ou Culoe de Song, vai encontrar em Gatupreto mais um projecto peculiar e muito interessante para seguir.