CAETANO VELOSO || ESGOTA concerto de Lisboa, Coliseu dos Recreios

28-04-2014 11:17

CAETANO VELOSO ABRAÇAÇO AO VIVO

COLISEU Dos recreios 28 DE ABRIL, Lisboa // ESGOTADO
Teatro Micaelense  2 e 3 Junho,  Ponta Delgada // ESGOTADO
optimus primavera sound 5 de Junho, porto

caetano veloso som direto

 

"Caetano segue sendo Caetano, gritando surpresas que mostram que o artista não se acomodou. Caetano segue sendo Caetano cantando e dizendo o que público quer ouvir (mesmo que por vezes não saiba). Parabólica de ideias que muitas vezes repercutem mais do que sua música, Caetano Veloso continua artista multimídia em busca de novidades. Hoje ele manda esse abraçaço. Amanhã quem sabe" (Beto Feitosa).

 

Caetano Veloso apresenta o seu novo espectáculo “Abraçaço” na sua próxima tour europeia - 18 espectáculos em 8 países - que inicia em Lisboa (Coliseu dos Recreios, a 28 de Abril) e fecha no Porto (Optimus Primavera Sound / Parque da Cidade no dia 5 de Junho), passando ainda pela estreia absoluta do cantor baiano nos Açores (Teatro Micaelense, dias 2 e 3 de Junho).

 

 “Abraçaço” um caloroso abraço da genialidade de Caetano Veloso ao público, inclui praticamente todas as músicas do último álbum, canções marcantes e clássicos da carreira. Caetano mais uma vez ao lado da BandaCê – Pedro Sá (guitarra), Ricardo Dias Gomes (baixo e teclado) e Marcelo Callado (bateria) – emociona, anima e abraça todos com um espectáculo histórico.

 

Abrindo com o fortíssimo “A Bossa Nova é Foda”, Caetano segue cantando sua tristeza em “Estou Triste”, extravasa sua raiva em “Funk Melódico”, explicita suas saudades em “Mãe” e “Alguém cantando”, diverte com “Parabéns” e oferece novas roupagens fantásticas a “Eclipse Oculto”, “Reconvexo”, “Você não entende nada” , “Um Indio” , além do lindíssimo “Triste Bahia” do antológico e para sempre exaltado, disco “Transa”.

 

O cenário - assinado por Hélio Eichbauer, que trabalha com Caetano Veloso desde “O Estrangeiro” – é belo e simples mas cheio de simbologias que remetem à vanguarda russa, ao futurismo e à bossa nova. Composto por um fundo preto onde losangos negros  sobressaem com o jogo de luz e por quatro obras do pintor soviético Kasimir Severinovich Malevich que ficam em evidência: uma em cada trecho da apresentação.