BLUE NOTE RECORDS celebra 80.º Aniversário – ''The Finest In Jazz Since 1939''

08-01-2019 13:33

Aniversário será celebrado com reedições em vinil, um documentário, concertos especiais, entre outros

Há 80 anos, a 6 de janeiro de 1939, Alfred Lion, um emigrante alemão e fã de jazz, produziu sua primeira sessão de gravação em Nova Iorque com dois pianistas Boogie Woogie, fundando o que se tornaria a editora mais respeitada e mais antiga mundo. A Blue Note Records representou The Finest In Jazz, traçando toda a história da música, do Hot Jazz, ao Boogie Woogie e Swing, passando pelo Bebop, Hard Bop, Post-Bop, Soul Jazz, Avant-Garde e Fusão, e - depois de ter sido ser relançada por Bruce Lundvall em 1984 – a Blue Note permaneceu como a principal editora  dedicada   documentar a vibrante  e criativa  cena jazz atual sob a liderança do atual presidente Don Was, que assumiu o cargo em 2012.

Uma edição especial da playlist “The Blue Note Monthly” na Apple Music e no Spotifyhomenageia o legado da editora com uma visão geral do catálogo que começa com a primeira sessão com Albert Ammons e inclui o primeiro êxito da editora (uma gravação de “Summertime” de 1939 por Sidney Bechet), clássicos intemporais como “Blue Train” de John Coltrane e “Moanin'” de Art Blakey & The Jazz Messengers, e temas do catálogo atual, incluindo Charles Lloyd, Ambrose Akinmusire, Blade Brian, Terence Blanchard, Robert Glasper, Norah Jones, Gregory Porter e Kandace Springs.

Ao longo de 2019 será celebrado o 80.º aniversário da Blue Note Records com reedições em vinil, a edição da caixa “Blue Note Review”, um documentário, eventos ao vivo, vestuário de marca, gravuras de arte de imagens clássicas da Blue Note, iniciativas de streaming e muito mais.

Os destaques do ano incluem:

• Reedições em vinil para audiófilos: Joe Harley - cofundador e coprodutor da aclamada série de vinis para audiófilos Music Matters – é o produtor desta nova série de reedições em vinil de 180g remasterizados a partir das gravações originais em fita. A masterização foi feita por Kevin Gray (Cohearent Audio) e o vinil foi fabricado na Record Technology Incorporated (RTI). Os títulos foram escolhidos a dedo por Harley e abrangem clássicos menos conhecidos da Blue Note, destaques da era moderna e álbuns de outras editoras no catálogo Blue Note. Os dois primeiros álbuns da série – “Etcetera” de Wayne Shorter e “Now He Sings, Now He Sobs” de Chick Corea - serão editados a 8 de fevereiro e estão disponíveis em regime de pré-venda.

• Série de reedições em vinil Blue Note 80: Uma série de reedições em vinil com curadoria de Don Was e Cem Kurosman, com álbuns agrupados por temas: Blue Note Debuts, Blue Grooves, Great Reid Miles Covers, Blue Note Live e Blue Note Drummer Leaders. Os lançamentos começam em abril.

• Blue Note Review: A segunda edição da série de caixas em vinil “Blue Note Review: Volume Two - Spirit & Time” está atualmente disponível em bluenotereview.com. Com curadoria de Don Was, a caixa encapsula o passado, presente e futuro da Blue Note ao celebrar os álbuns brilhantes do final de carreira do lendário Tony Williams com um tributo aos atuais bateristas, bem como reedições para audiófilos de “Africaine” de Art Blakey & The Jazz Messengers e “Patterns” de Bobby Hutcherson, o livro “Spirit & Time: Jazz Drummers Om Their Art”, a zine “Out of the Blue”, entre outros objetos de memorabilia. A terceira edição da “Blue Note Review” incidirá sobre o legado da editora em homenagem ao seu 80º aniversário.

• Vinyl Me, Please x Série Blue Note 80: Uma parceria especial com a loja de discos Vinyl Me, Please, que oferecerá uma série exclusiva de reedições em vinil da Blue Note, com seis títulos com curadoria de Don Was que abrangem as muitas eras da história da Blue Note. A pré-venda começará no início de 2019.

• “Jazz Classics Blue Note Edition” no Spotify: A playlist do Spotify dedicada à Blue Note Records, “Jazz Classics Blue Note Edition”, que já conta com mais de 100 mil seguidores, será aumentada para 80 temas a propósito do 80.º aniversário.

• “Blue Note 80: The Finest In Jazz Since 1939” na Apple Music: A Apple Music inclui a lista “Blue Note 80: The Finest In Jazz Since 1939”, com 80 temas que traçam a história da Blue Note.

• “Blue Note Records: Beyond the Documentary”: O documentário de Sophie Huber, que estreou no ano passado no Tribeca Film Festival, irá percorrer festivais e salas de cinema, chegará às plataformas de streaming no verão e será editado em DVD no outono. Mais informações em bluenoterecords-film.com.

• Blue Note X G-SHOCK G-STEEL: A G-SHOCK e a Blue Note estão a trabalhar no lançamento de um relógio G-SHOCK com a marca Blue Note.

• Digressão de 80.º Aniversário da Blue Note: Este outono, três artistas da Blue Note – Kandace Springs, James Francies e James Carter – vão embarcar numa digressão pelos EUA.

• Blue Note at Sea: O cruzeiro Blue Note at Sea de 2019, com bilhetes esgotados, partirá para o Caribe de 26 de janeiro a 2 de fevereiro, com os anfitriões Don Was, Robert Glasper e Marcus Miller. Entre os muitos artistas que estarão presentes contam-se Terence Blanchard, José James, Kandace Springs, R R = NOW, Jason Moran, Kurt Elling, Cecile McLorin Salvant e at Jazz at Lincoln Center Orchestra com Wynton Marsalis. O cruzeiro também contará com conversas sobre a história da Blue Note, exibições de “Blue Note Records: Beyond the Notes”, e atuações especiais comemorando o legado da editora.

• Tenda Blue Note no Monterey Jazz Festival: O regresso da popular Tenda Blue Note no célebre Monterey Jazz Festival, em setembro, incluirá uma programação especial de aniversário, com conversas e atuações, a exibição de “Blue Note Records: Beyond the Notes”, entre outras atividades.

• Nomeações da Blue Note aos Grammys: Os artistas da Blue Note têm uma forte presença nos prémios Grammy, com cinco nomeações em cinco categorias diferentes: “Emanon” do Wayne Shorter Qartet (Melhor Álbum de Jazz Instrumental); “Laid Black” de Marcus Miller (Melhor Álbum Contemporâneo Instrumental); “Chris Dave And The Drumhedz” (Melhor Álbum Contemporâneo Urbano); e duas nomeações para Gregory Porter com “Nat King Cole & Me” (Melhor Álbum Pop Vocal Tradicional) e “Mona Lisa” (Melhor Arranjo, Instrumentação e Voz).

• Best of 2018: 3 álbuns da Blue Note atingiram o topo das listas de melhores do ano dos críticos em 2018: “Emanon” de Wayne Shorter, “Vanished Gardens” de Charles Lloyd & The Marvels Lucinda Williams e “Origami Harvest” de Ambrose Akinmusire foram nomeados Melhores Álbuns de 2018 pelo New York Times, NPR Music, Rolling Stone, GQ, Paste, Slate, entre outras publicações.

 

Pub.