ALCEU VALENÇA na FNAC CHIADO - 16 de janeiro

14-01-2015 01:15
ALCEU VALENÇA EM SESSÃO ESPECIAL NA FNAC CHIADO
16 DE JANEIRO | 18:30
 
ENTREVISTA ACOMPANHADA POR ANTÓNIO MACEDO (ANTENA 1)
E SESSÃO DE AUTÓGRAFOS

 

ALCEU VALENÇA FNAC CHIADO

"VALENCIANAS" GRAVADO AO VIVO COM A ORQUESTRA OURO PRETO,
LANÇADO EM PORTUGAL EM NOVEMBRO DE 2014

 

ALCEU VALENÇA, está de regresso a Portugal para apresentar, ao vivo, o álbum que marca as celebrações dos 40 anos de carreira: "Valencianas". Esta obra chegou a Portugal com edição da Lusitanian e apoio da Antena 1 e FNAC em Novembro de 2014.

 

Nesse âmbito, o cantor e autor brasileiro, marca presença na FNAC Chiado no próximo dia 16 de janeiro, pelas 18:30, para uma entrevista pública moderada pelo jornalista António Macedo - Antena 1, seguida de uma sessão de autógrafos.

 

Nos dias 19 e 20 de janeiro, ALCEU VALENÇA, apresenta o álbum Valencianas, ao vivo, na Casa da Música - Porto e Teatro Tivoli - Lisboa, respetivamente, na companhia da Orquestra Ouro Preto que o acompanhou no espetáculo que deu origem ao álbum "Valencianas".

 

Com regência do Maestro Rodrigo Toffolo e ALCEU VALENÇA como solista, as VALENCIANAS recriam o cancioneiro do cantor e compositor pernambucano que, pela primeira vez, tem parte significativa da sua obra arranjada para orquestra.

 

As VALENCIANAS foram concebidas tendo como referência a biografia musical de Alceu, incluindo os seus maiores sucessos, e exploram particularidades que tornaram a obra do cantor um marco na história da música popular brasileira. Assim, guitarra, violão, baixo elétrico, bateria e percussão entram em diálogo harmonioso com instrumentos típicos da sonoridade nordestina como sanfona, zabumba, tampa de panela, rabeca e marimbau que, por sua vez, se unem a uma orquestra de cordas.

 

ALCEU VALENÇA cresceu em convívio direto com os elementos vivos que ajudaram a consolidar a cultura brasileira contemporânea. O canto dos aboiadores, emboladores, violeiros e cantadores de feira são algumas das influências que Alceu assimilou da cultura e música do agreste e do sertão.

 

Atingiu o reconhecimento do público na década de 80, altura em que se recriou enquanto artista e formatou o estilo que o consagraria como um dos maiores poetas, cantores e compositores brasileiros.

 

O compromisso com a identidade cultural nordestina é assumido e visível em músicas como “Coração Bobo”, “Anunciação”, “Tropicana”, “Belle de Jour”, entre muitas outras que marcaram a sua carreira ao longo dos últimos 40 anos.

 

Recentemente, Alceu Valença lançou o seu primeiro longa-metragem como diretor, “A Luneta do Tempo”, premiado no Festival de Cinema de Gramado e presente no Festival do Rio e na Mostra São Paulo de Cinema.

O artista lança, também, em Portugal o seu primeiro livro de crónicas e poesia, “O Poeta da Madrugada”, agora em janeiro de 2015, pela Editora do Chiado.